04/06/2019 às 11:41, Atualizado em 04/06/2019 às 11:50

Anaurilândia - Programa social que começa atendendo 250 famílias deve impulsionar o comércio local

Na última sexta-feira (31), foi dado início no município de Anaurilândia ao programa social “Família Feliz”, que já começou atendendo cerca de 250 famílias carentes, incluindo moradores da zona rural e distrito de Vila Quebracho.

O beneficio, no valor de R$ 120, será disponível através de um cartão e só poderá ser utilizada no comércio local, uma forma, segundo a Administração Municipal, de oferecer mais dignidade às pessoas menos favorecidas e também impulsionar o comércio local.

Para ter direito a ingressar no programa, a família deve comprovar que se encontra em situação de vulnerabilidade e passar por avaliação de uma junta formada por profissionais da Secretaria de Assistência Social do município.

Cb image default
Divulgação

Já os comércios que pretendem vender para os beneficiários do programa social devem se cadastrar e fornecer aos contemplados apenas produtos alimentícios e medicamentos. De acordo com prefeito Edinho Takazono (MDB), a medida já vinha sendo estudada há algum tempo.

Essa junção no sentido de atender as famílias com menor poder aquisitivo e, ao mesmo tempo, oxigenar o comércio local, foi analisada por técnicos do município e aprovada pela Câmara Municipal.

Takazono explica que o programa tem regras criteriosas e tanto os beneficiários quanto os empresários interessados em atender esta demanda devem cumpri-las rigorosamente. O gestor ressalta ainda que além de uma coordenadora, o programa Família Feliz será acompanhado e auditado de perto por profissionais da Secretaria Municipal de Assistência Social.

Durante sua fala na entrega dos cartões às primeiras famílias atendidas, Edinho destacou o papel fundamental da Câmara Municipal, que, segundo ele, foi ágil em analisar o projeto e votar pela sua aprovação após alguns ajustes propostos pelos vereadores.

Cb image default
Divulgação

“Quero destacar a importância de nossos vereadores na aprovação deste projeto que veio de encontro com as famílias menos favorecidas de nosso município. Além da ação social, estamos contribuindo com nosso comércio. Esta é uma ação de duas vias, tanto para as famílias, como para os nossos empresários”, ressaltou. O chefe do Executivo finalizou dizendo que já estuda outra medida que será lançada em breve, neste mesmo modelo.

Para o presidente da Câmara, Jorge Santana (MDB), o programa aprovado por eles a pedido do Executivo, tem como papel primordial atender famílias de baixa renda e movimentar ainda mais a economia local. “Ao analisar este projeto, observamos que ele iria atender dois setores importantes de nosso município, o social e o comercial. Que venham outras ações neste mesmo modelo, pois só assim, podemos melhorar a qualidade de vida de nossa gente”, finalizou.